domingo, 21 de junho de 2015

Oi querido

Hoje finalmente eu ouvi You and me do Lifehouse, finalmente eu me permiti sentir sua falta, até fechei os olhos, ate lembrei do seu quarto, lembrei de como eu amava você, me sinto vazia agora, não estou triste, não mesmo, pelo contrario estou em paz, meu mundo ta desabando e eu me sinto tranquila, acho q as mudanças serão bem vindas, me sinto mais quieta, quieta no espirito. Quero de verdade amar alguém como amei você, e quero alguém q me ame como você me amava, e dessa vez eu vou fazer tudo certo, dessa vez tem q ser tudo certo, eu vou me esforçar pra isso!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Carnaval dia 1-

"Não sou morada pra tristeza, vou resistir de verdade a dor, sou casa ou abrigo, a esperar um grande amor. Não sou quem fui, nem quem serei, sou primavera pela manhã, outono no entardecer, a noite sou escura cheia de estrelas e segredos...

Um desses segredos é que não sou de procurar alento, mas particularmente hoje estou descrente, precisando de uma abraço e de um sorvete com calda morango."

* O primeiro de 10 meses...

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

somos instantes

quantas coisas eu queria ter dito e não disse
quantas vezes eu quis olhar nos olhos de alguns e dizer "ei, eu amava tanto vc e vc me feriu"

quantas vezes eu sinto falta de algumas pessoas e falta de mim, falta de quem eu fui e de quem eu seria, mas esses são só instantes

o meu presente é belo, e há sorrisos hj em mim que não haveriam se tudo não tivesse sido como foi

há em mim uma originalidade

quem eu sou não é definido, meu comportamento e pensamentos estão sempre em constante mudança

e tem sorrisos e felicidades que so sou capaz de sentir sem a presença desses que me feriram, somos apenas fragmentos de momentos felizes e eu trago no rosto esse sorriso zombeteiro que já me enfiou em um milhão de encrencas

a vida é um intervalo num instante da existência...

terça-feira, 11 de novembro de 2014

I'm not yours anymore...




Uma bonita musica, para uma bonita noite...

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Nenhum de nós prestamos, somos tão sujeitos ao erro, que eu me pergunto: "O que é imperdoável?" (Olhando a foto de um casal feliz onde eu conheço um segredo por trás dos sorrisos e declarações...)

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Passo número 1

Aprender a dizer não.

sábado, 6 de setembro de 2014

minha dualidade te enlouquece?

Eu mesma não sei quem sou, por hora, sou alguém fraco ferido que procurava abrigo, não encontrei, não há abrigo a salvo, preciso sobreviver sozinha, eu lia muito e agora me lembro de uma historia que li no colégio quando eu era ninguém, eu gostaria de lembrar o nome, eu não leio mais sabe, eu costumava ler bastante, algumas coisas se perderam, nesse livro o mais interessante é que, a historia fala de sobrevivência e de limites, duas premissas que me deparei esse ano, inicialmente eu preciso descobrir o que eu quero, isso ficou bastante enlouquente depois de minha última separação,

- bem em resumo tracei minha vida para ser feliz com alguém, que tragicamente não ocorreu, desde então estive vagando, isso não é para mim, não mesmo, é um sábado, é madrugada, e estou completamente sóbria,

- mamãe chegou a 1:00 da manhã, não que eu não entenda, eu estou feliz por ela, ter minha mãe do meu lado é um privilegio que me enfraquece, isso é terrível de ser dito, mas antes, quando eu era a ovelha negra, eu tinha uma causa, eu queria mostrar o meu potencial e o fato de ela nesse momento me apoiar me trás um conformismo que não combina comigo, eu gosto de pensar que estraguei tudo com todos, talvez em parte sim, mas por outro lado eu me entreguei inteiramente a todos, logo eles estragaram tudo comigo também em especial um o qual de fato ainda amo, cautela que tenho agora, e nesse momento de sobriedade eu queria apenas um copo de água,

-Talvez eu nunca vá superar o fato de ter partido meu coração, mas acho que está na hora de verdade de eu sair dessa confortabilidade enlouquecedora que me encontro, a minha causa será provar que mesmo de coração partido, e mesmo com tantas coisas diferentes, hj estou mais cautelosa, não menos selvagem.